domingo, 8 de março de 2015

ASSUNTO: O DEUS EU SOU

ASSUNTO: O DEUS EU SOU
TEMA: EU SOU A LUZ DO MUNDO

TEXTO: João 8.12

“Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”

INTRODUÇÃO

No princípio criou Deus os céus e a terra, e a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, quando as primeiras palavras de Deus foram ditas: “Haja luz”, e houve luz sendo a mesma manifestada por uma ordem direta de Deus. E viu Deus que a luz era boa, sem a luz não haveria vida.

O Senhor Deus fez separação entre a luz e as trevas.

A primeira ação Deus foi manifestar a luz a este mundo.

Em 1º João 1.5 a Palavra nos afirma: “… que Deus é luz e não há nele treva nenhuma.”

O evangelho de João começa dizendo que no principio era o verbo, e o verbo estava com Deus e overbo era Deus, mostrando a presença do Senhor Jesus, que é o verbo lá na criação. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens.

Por isso o Senhor Jesus disse: “EU SOU A LUZ DO MUNDO.”

DESENVOLVIMENTO

O Senhor Jesus veio ao mundo para suprir o homem da sua maior necessidade: a vida eterna.
Por isso Ele se apresenta como sendo a luz, a fim de guiar o homem no caminho da vida, pois o homem não conhece este caminho por estar nas trevas. Trevas é ausência de luz, ou seja, ausência de Jesus.

Deus Pai envia seu Filho Jesus, oferecendo ao homem a oportunidade de sair das trevas e andar na luz.

O projeto de Deus para a salvação do homem estava oculto ao mundo, até que se cumpre a profecia de Isaías 9.2 que diz: “O povo que andava em trevas viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra de morte resplandeceu a luz.’’

No nascimento do Senhor Jesus cumpriu-se a profecia de Isaías, revelando ao mundo a LUZ –JESUS. Todo aquele que segue a Jesus não anda em trevas. Andar na luz é ser guiado pelo Espírito Santo no caminho rumo à vida eterna.

Escolher andar na luz, e ter uma vida transformada, as trevas tornam-se luz.
Paulo teve um encontro com a luz – Jesus – e sua vida foi transformada.

A luz faz separação entre si mesma e as trevas. Andar na luz é ter os pecados perdoados, remidos pelo sangue de Jesus, como nos diz a Palavra: 1º João 1.7 – “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”

O desejo do Senhor Jesus é que esta benção se estenda aos nossos familiares.

No passado, enquanto o Egito estava em trevas, na casa do povo de Israel havia luz.

O mundo anda em trevas, perdido, mas há um povo que tem sido guiado por esta luz, pela revelação de Jesus.









CONCLUSÃO

O Senhor Jesus é O DEUS EU SOU que fala aos corações revelando o oculto e o escondido.
Ele é o Deus revelador. Por isso Ele nos diz: “EU SOU A LUZ DO MUNDO.”

Jesus veio ao mundo como a providência do Pai, e se apresenta para suprir a necessidade da alma, que é a vida eterna. Por isso Ele é a luz que tira o homem das trevas, das amarras do pecado, da morte e o traz para a vida.

A luz identifica o homem com um projeto de vida, com o próprio Jesus. Por isso, o Senhor Jesus diz:“Vós sois a luz do mundo…’’ – Mateus 5.14.

Aquele que segue a Jesus está identificado com Ele, com a luz, e, assim pode refletir a luz gloriosa da salvação e testemunhar do poder de Deus.

Andar na luz é ter os olhos abertos, é ter segurança, paz, alegria e salvação. O Senhor quer nos guiar neste caminho de luz até raiar o amanhecer de um novo dia, quando o Senhor Jesus arrebatar a sua igreja, nós estaremos para sempre com Ele na glória.

Daniel 2.22– “Ele revela o profundo e o escondido e conhece o que está em trevas; e com ele mora a luz.”

ASSUNTO: O DEUS EU SOU

ASSUNTO: O DEUS EU SOU
TEMA: EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA.

TEXTO: João 14.6
“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.”

INTRODUÇÃO

O Espírito Santo de Deus é o que convence o homem do pecado e nos mostra o caminhoa verdade e a vida. Pois o grande desejo de Deus é salvar o homem e dar-lhe a vida eterna. E a sua Palavra tem aberto nossos olhos para a santificação.

DESENVOLVIMENTO

Jesus é o Caminho
No livro do profeta Isaías aproximadamente 700 anos antes do Senhor Jesus nascer, ele profetizou a respeito deste Caminho:
“Os teus ouvidos ouvirão a palavra que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho; andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.” – Isaías 30.21

Novamente no capítulo 35.8 o profeta Isaías faz menção, profetizando do Caminho.
“E ali haverá um alto caminho, um caminho que se chamará O Caminho Santo; o imundo não passará por ele, mas será para o povo de Deus; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão.”

O Senhor Jesus é este Caminho Santo. Ele – Jesus – é o único Caminho que nos leva ao céu. É o Caminho seguro, de paz, onde aqueles que ouvem a sua voz estão debaixo do olhar do Pai. Andando sem se desviar nem para a direita nem para a esquerda. Em santificação alcançaremos a eternidade.

Jesus é a Verdade
Perante Pilatos o Senhor Jesus falou que todo aquele que é da Verdade ouve a sua voz.
“… Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.” – João 18.37

O Senhor Jesus é a própria Verdade.
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” – João 8.32

A voz da Verdade abre os nossos olhos e nos dá a paz, alegria, libertação, segurança e respostas às nossas ansiedades.
“… a sua verdade é escudo e broquel.” – Salmos 91.4

Jesus é a Vida
Lá no Éden quando o Senhor Deus disse: “… Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança…” – soprou nas suas narinas o folego de Vida. O Senhor Jesus que é a própria Vida estava presente ali.

Jesus nos prometeu uma Vida eterna com Ele. E somente Jesus, através do seu sacrifício lá na cruz pode garantir-nos esta Vida de paz, alegrias e amor.

Na sua oração intercessora, Ele pediu ao Pai:
“Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me hás amado antes da criação do mundo.”
João 17.24

CONCLUSÃO

Se andarmos neste Caminho, em santificação, cada dia conheceremos mais da Verdade e a Vida abundante que é o Senhor Jesus e assim somos participantes das bênçãos que o Senhor tem dispensado sobre o seu povo.
O DEUS EU SOU tem se apresentado a nós como o CAMINHO que nos leva à eternidade, e que têm abertos os nossos olhos com a VERDADE que é o nosso escudo e tem nos prometido a VIDA eterna. E o seu desejo é que onde Ele estiver estejamos junto a Ele. Por isso sabemos que em breve virá nos buscar. Maranata!

domingo, 28 de dezembro de 2014

Lemas do Ano 2015 - ICM - Igreja Cristão Maranata

Lemas do ano 1992 a 2015


2015
Fp 3:14
“Prossigo para o Alvo, pelo premio da soberania vocação de  Deus em Cristo Jesus.”

2014
Fp 4:19
“O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.”
2013
II Cr 20:17
“Nesta peleja não tereis que pelejar; parai, estai em pé, e vede a salvação do Senhor para convosco, ó Judá e Jerusalém; não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o Senhor será convosco.”
2012
Hb 10:37
“Porque ainda um poucochinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará.”
2011
II Cr 15:7
“Mas esforçai-vos e não desfaleçam as vossas mãos, porque a vossa obra tem uma recompensa.”
2010
FP 1:6
“Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.”
2009
Mt 24:46
”Bem-aventurado aquele servo que o Senhor, quando vier, achar servindo assim”
2008
I Sm 3:9
”Fala, Senhor, porque o teu servo ouve”
2007
Is 41:13
”Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo: Não temas, que eu te ajudo”
2006
Det 30:19
”…Escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência”
2005
Mat. 28:20
”Eis que estou convosco todos os dias ate a consumação dos séculos”
2004
Jos. 1:9
“Esforca-te, e tem bom animo; não pasmes, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus e contigo, por onde quer que andares”
2003
Rom. 8:37
”Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou”
2002
Sal. 91:1
”Aquele que habita no esconderijo do Altissimo, a sombra do Onipotente descansará”
2001
Apo. 12:5
”…Eis que faço novas todas as coisas…”
2000
Apo. 3:11
”Guarda o que tens…”
1999
Gen. 22:8
”Deus proverá”
1998
Sal. 23:1
”Nada me faltará”
1997
I Tess. 5:23
”E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo…”
1996
Mat. 24:42
”Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora em que o filho do homem ha de vir”
1995
Rom. 8:31
”Se Deus e por nos, quem será contra nos”
1994
Nee. 8:10
”Enviai porções aos que não tem nada preparado para si; porque este dia e consagrado ao nosso Senhor….”
1993
Rom. 12:15
”Alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram”
1992
Rom. 13:8
”A ninguém devais coisa alguma, senão o amor… ”

sábado, 20 de dezembro de 2014

A DOUTRINA DO LOUVOR NA PALAVRA DE DEUS

-A DOUTRINA DO LOUVOR NA PALAVRA DE DEUS

  1. A EXPRESSÃO DE LOUVOR DA IGREJA FIEL
- o louvor que emoldura a doutrina
- o louvor como resultado do clamor
- o louvor revelado ou profético
- o louvor que canta a palavra
========================================================

O LOUVOR DA IGREJA FIEL – APOCALIPSE 15:3-4
3-“E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor, Deus Todo-poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos”! 4-“Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso, todas as nações virão e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos”.

INTRODUÇÃO
A expressão de louvor da Igreja Fiel está envolvida em dois aspectos:
1º)É sentir o amor de Deus em sua vida.
2º)É manifestar a dimensão deste amor na forma de gratidão a Deus.

Em resumo, o louvor da igreja fiel expressa a grandiosidade do amor de Deus e a gratidão por este amor na vida da igreja.
Encontramos em toda a palavra de  Deus louvores que o SENHOR  revelou aos seus servos  em momentos de grandes lutas, mas que terminaram com grandes vitórias e com cânticos de louvores ao nosso DEUS.
(um assunto que será abordado para as Crianças em março-14)

I – A origem do louvor

O verdadeiro louvor a Deus tem a sua origem na eternidade e é importante nós entendermos que o louvor cantado pela Igreja Fiel é operado na eternidade.
Quando Deus cria todas as coisas, a primeira expressão da criação é No Princípio criou Deus, que no original hebraico é BereshitBarahElohim.
Desta palavra bereshit(no principio) originam-se várias outras e, entre elas está a palavra shirtaev, que quer dizer, O Senhor anelava um louvor.
Quando Deus cria todas as coisas, Ele as cria para um cântico de adoração ao seu nome, Ele as cria para uma glorificação ao seu nome, para que o homem pudesse expressar todo o louvor e toda a adoração a Ele, por tudo aquilo que Ele fez.  Deus instituiu, na criação, um louvor perene ao seu nome.
Enfim, a obra criadora é um cântico de louvor entoado por Deus.
A origem do louvor é na eternidade, para ser cantado aqui por aqueles que vivem a realidade do Reino e a esperança e da fé.
O louvor é fundamental na vida da Igreja Fiel, e ele não se expressa de qualquer maneira, porque nós sabemos que ele é originário da eternidade, ele estava na eternidade, e foi transferido para a obra da criação.

I.1 – COMO É ENTOADO O LOUVOR NA ETERNIDADE

O LOUVOR DOS 24 anciãos
O capítulo 4:4, 9,10 descreve toda a glória do trono de Deus, e menciona que ao redor do trono estavam vinte e quatro tronos e neles vinte e quatro anciãos vestidos de vestidos brancos; e tinham sobre suas cabeças coroas de ouro. (Ap. 4:4)
Esses vinte e quatro anciãos são:
1. Os 12 patriarcas de Israel, filhos de Jacó, através dos quais Deus cumpriu a promessa feita a Abraão, de fazer dele uma grande nação. Portanto eles falam de Israel.
2. Os outros 12 são os apóstolos. Estes falam da Igreja.
Os dois grupos fazem parte do projeto de Deus para a salvação. São um só povo, escolhido, separado, chamado.
Portanto ali estão Israel e a Igreja, um só povo diante do Trono de Deus, rendendo ao Pai, dia e noite, sem descanso, a sua adoração: “Santo, santo, santo é o Senhor Deus, o Todo Poderoso, que era, que é, e que há de vir”Ap. 4:8 a 11.

O LOUVOR DA OBRA CRIADORA
João viu ainda (Apoc.5) na destra do trono um livro, e se procurava quem seria digno de abri-lo e desatar-lhe os selos. Somente um foi achado e era ele o Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro e desatar os selos.
Então ele veio, e tomou o livro; e os quatro animais e os vinte quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso em suas mãos, que são as orações dos santos.
“E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; (…). Ap5:9,11,12,13. Eram eles muitos anjos ao redor do trono, e dos animais; e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares.
Aí está o louvor entoado na eternidade cantado por “toda a criatura que está no céu e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e todas as coisas que neles há,ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, a eles sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo sempre”. Ap. 5:13.
Este é o louvor eterno que ultrapassa o nosso entendimento, em honra ao Pai e ao Cordeiro que venceu a morte, para nos assegurar vida. A ele rendemos também nós, seus servos, a nossa adoração.
Os textos mencionados acima narram ahonraglóriaações de graçalouvor e adoração rendidas ao Pai e ao Cordeiro que foi morto e está vivo.

II – O LOUVOR DA IGREJA FIEL CONFORME O VELHO TESTAMENTO

- O CÂNTICO NOVO
Os cânticos na Bíblia sempre foram o resultado dos atos de justiça de Deus em favor do Seu povo ou de Seus servos:
Exemplo do Salmo 98:1 – “Cantai ao SENHOR um cântico novo, porque ele fez maravilhas; a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a vitória”.
Inúmeros cânticos foram entoados pelos servos de Deus e pelo Seu povo, expressando sempre os favores recebidos do Senhor. O cântico novo expressado por Davi em alguns de seus salmos revela que Deus sempre realizava algo novo na vida de seus servos ou de seu povo pelo qual eles manifestavam sua gratidão a Deus.

UM EXEMPLO DESSE LOUVOR NO VELHO TESTAMENTO:

- O CÂNTICO DE MOISÉS – TEXTO DE: ÊXODO 15:1-2
“1 Então, cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR; e falaram, dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque sumamente se exaltou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. 2 O SENHOR é a minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto, lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai; por isso, o exaltarei”.

COMENTÁRIO – Logo após a travessia do mar vermelho Israel viu a grande mão do Senhor operando maravilhosamente a seu favor. Então o Senhor revelou este cântico a Moisés. O louvor emoldura as grandes vitórias do Senhor neste caso do mar vermelho Israel cantou  ás margens do mar vermelho a grande vitória do Senhor quando todo o exército de Faraó foi derrotado.

APLICAÇÃO PROFÉTICA: Os servos do Senhor expressam no louvor  a grande vitória do Senhor que é a vitória sobre a  escravidão do pecado e a morte da condenação eterna.
Lá na eternidade João  viu os servos vencedores que entoavam o cântico de Moises juntamente com o cântico do Cordeiro. Ali está a figura de Israel e a igreja juntos na eternidade.
Hoje nós como servos do Senhor diante das grandes vitórias que alcançamos na presença do Senhor, cantamos louvores e lá na eternidade o nosso louvor continuará, pois o Senhor  é a nossa força e o nosso cântico; ele nos foi por salvação.

A ADORAÇÃO MOVIDA PELO ESPÍRITO SANTO – a brasa viva do altar.

O INCENSÁRIO NO TABERNÁCULO.
Deus ordenou a construção de um santuário para ali habitar no meio do povo (Ex 25:8). Ao entrar no átrio do tabernáculo o israelita se deparava com um altar feito de bronze, onde a expiação do pecado era feita.
Era-lhe impossível aproximar de Deus, quer fosse para oferecer incenso, ou ter qualquer contato com Deus, sem passar pelo altar do holocausto. Ali o Israelita via-se tal qual era: imundo, pecador, necessitado de perdão através da expiação.
Os braseiros, ou incensários, eram necessários para receber a brasa acesa, que era tirada desse altar e levada para o lugar Santo ou Santíssimo. Todo o fogo teria que sair desse altar. Qualquer fogo que não fosse desse altar não seria aceito por Deus e era tido como FOGO ESTRANHO.
Nadabe e Abiú puseram em seus incensários (braseiros) brasas que não foram tiradas desse altar e foram sentenciados por Deus. Deus não aceita adoração que não seja movida pelo Espírito Santo, a brasa viva, que queima o profundo do ser.
Foi o Espírito Santodeixado pelo Senhor Jesus para manter acesa a vida espiritual capaz de produzir a adoração que o Pai aceita e que o Filho recebe.Fogo do espírito e não da carne.
O Espírito Santo que habita em nós é a brasa viva que queima toda a iniquidade. A sua presença em nosso coração é mantida quando, através do nosso louvor, confessamos que nada somos e que toda a glória pertence ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

III–o Conteúdo do louvor
O conteúdo abrange trêselementos: o poético, o profético e o doutrinário.

Conteúdo Poético-  Não é preciso ser crente e nem crer em Deus para produzir uma poesia porque existem muitas coisas na obra criadora que sensibilizam o homem, quando ele vê os rios, os campos, os pássaros, o sol, as estrelas, a lua, toda a natureza.
Davi se identificava com esta obra da criação, sendo que ele transportava tudo para o objeto da redenção. Era o poeta da redenção porque transformava todo o objetivo da criação na obra redentora. Davi sempre via a obra redentora, ele sempre estava vendo além daquilo que uma poesia simples pode expressar, porque ele escrevia baseado nos anseios da alma do homem.“O Senhor é o meu pastor, nada me faltará”.

Conteúdo Profético- O conteúdo do louvor da Igreja Fiel pode ser poético, mas ele também tem que ser profético. Fala da Vitória da igreja. Louvor das Crianças: “O sol da justiça nascerá…”
O conteúdo poético inspira o poeta e o conteúdo profético antecipa a posse do Reino.
Para agradar a Deus, o louvor tem que ser profético, isso é fundamental, porque é a antecipação da posse do Reino, é a vitória da Igreja Fiel.

Conteúdo Doutrinário – Esse louvor é doutrinário porque ele tem que falar essencialmente daquilo que é o fundamento da doutrina, que é a salvação.

O LOUVOR ESTÁ SEMPRE LIGADO À SALVAÇÃO DO HOMEM.
            “Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.” Heb13:15.
O louvor é gerado no nosso coração, no nosso interior, como fruto de uma alma remida, porque o Senhor Jesus deixou o esplendor de sua glória, para se submeter ao projeto do Pai, e vencer a morte por nós dando-nos o direito à vida e o de estarmos com ele na eternidade.
O louvor é fruto de um coração arrependido eda gratidão por promessas cumpridas, é, enfim, fruto de vitórias, que só o Senhor nos pode assegurar.
Por isso só os salvos louvam verdadeiramente ao Senhor.

IV– Inspiração do louvor.
A inspiração tem que ter dois elementos fundamentais: A Palavra e o seu Autor.

1. Inspiração da Palavra – O louvor não pode contrariar a Palavra. Ao contrário o louvor canta a Palavra.E não é a letra cantada, mas a revelação.
Exemplo: “Jerusalém, cidade Santa do Senhor” – não é literal, pois não se trata de Jerusalém terrena, mas a celestial, a eterna, ou seja, eternidade.
O louvor tem que conter somente aquilo que seja glorificação ao nome do Senhor Jesus, pois Ele está realizando a sua obra no louvor da Igreja Fiel.

O louvor emoldura a Palavra. – O LOUVOR QUE CANTA A PALAVRA

Essa colocação é fundamental porque, ao mesmo tempo em queo louvorprovém da Palavra, ele também emoldura a Palavra, porque ele suscita o trabalho dos fiéis em meio às lutas e antecipa a doutrina.
Exemplos:
- Um irmão nosso que faleceu ainda no início da nossa experiência com a Obra do Senhor no nosso meio, ele produziu o louvor “Ele um dia voltará, vem buscar a sua Igreja”, até hoje a Igreja canta esse louvor. Esse louvor marcou uma doutrina que aprendemos do Senhor que foi sobre “A Revelação”, na expressão: “tua glória nos conduz a andar na tua luz, a Jesus quero louvar”.
- Um pastor que esteve conosco ainda no inicio, o pastor Jonas Marques, compôs um louvor com um elemento doutrinário que foi a palavra maranata, ele diz: “Maranata, Maranata, em breve o Senhor voltará”!
Esses louvores anteciparam a doutrina. O irmão e o pastor passaram para a eternidade, mas a revelação ficou no louvor, e o Senhor colocou imediatamente em prática a doutrina a respeito da revelação e da volta do Senhor Jesus, doutrinas que têm sido muito profundas para nós.
As doutrinas têm sido antecipadas pelos louvores.

2. Inspiração dO Autor  -  Não se pode dissociar nenhum conteúdo profético, nenhuma palavra, nenhum louvor, nenhuma adoração, da Palavra e do seu Autor.
O grande valor dessa associação para nós é porque na Palavra nós vamos ter aqueles elementos que são fundamentais, que são a fé, a esperança e o amor.
fé fala de um homem nobre que partiu para uma terra distante e que prometeu que um dia Ele vai voltar.
esperança fala certeza da Sua volta.
amor fala do grito de dor do pastor pela sua ovelha, fala da paixão do pastor pela sua ovelha.  Quando Jesus estava no calvário, Ele deu esse grito de dor.
Tudo isso tem que estar expresso no louvor. Não se pode cantar um louvor sem entender que o louvor é resultado da glorificação da Igreja.  A gratidão, a adoração ao nome do Senhor têm como resultado a dor que Ele sofreu no calvário, o seu grito de dor por amar um rebanho, por nos amar, a sua paixão pela sua igreja fiel.

V – O LOUVOR DA IGREJA FIEL NO NOVO TESTAMENTO

A Igreja canta os atos de justiça de Deus.
A Igreja canta os louvores daqueles que estão diante do Senhor, daqueles que entraram nas arenas, que morreram nas cruzes, nas fogueiras, e que clamam noite e dia diante do altar do Senhor, dizendo: “(…) Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra”?– (Apoc6:10). Há um clamor.
O louvor da Igreja Fiel é algo muito sério, porque aqueles mártires que estão clamando diante do altar de Deus, eles estão pedindo para que o Senhor reclame o seu sangue e o das testemunhas de Jesus.“Graças dou por tantos fiéis, Senhor, que foram mais fortes do que a morte e nos legaram, da fé, a herança…”.
“Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras”. (Sl 145:17)

VI – O louvor da Igreja Fiel é uma proclamação.
Essa proclamação tem que ser autêntica, ela não pode surgir do mundo, das coisas que não estão definidas.
E de onde vem esta autenticidade?
Ela vem através do selo, que é o clamor pelo sangue de Jesus.  Se não tiver o clamor pelo sangue de Jesus, o louvor não é autêntico, esta proclamação não tem autenticidade e por quê?
Porque o louvor retrata a comunhão da Igreja e a graça do Senhor sobre a Igreja.

O LOUVOR É UMA EXPRESSÃOVIVA DO CORPO.
A expressão de um corpo vivo é aquela onde o louvor expressa uma vida latente, é o Vem, Senhor Jesus, que é o clamor desta última hora. Tudo que a Igreja faz agora é a expressão deste momento. (NÃO É SIMPLESMENTE UMA EXPRESSÃO VERBAL, MAS UMA EXPRESSÃO DE FORMA DE VIDA).
O corpo vivo almeja a volta do Senhor Jesus, a Igreja Fiel vive desta expectativa, ela não está, simplesmente, cantando Vem, Senhor Jesus, mas expressa isso crendo no batismo com o Espírito Santo, crendo nos dons espirituais, crendo na salvação pela graça.

O louvor é a expressão de um grande compromisso, que é a salvação.  Esta salvação está em função do testemunho da igreja e dos atos libertadores do Senhor no meio dela.  Quando nós estamos cantando, nós estamos testemunhando essa salvação e o Senhor está operando os atos libertadores.
Quando o louvor é entoado por revelação do Espirito Santo, o Senhor envia os seus anjos no meio da igreja para ministrar libertação, cura, consolo, comunhão, livramento, paz, prosperidade, felicidade, maravilha.
Quando o Senhor revela: Quero que seja cantado o louvor Tal, e esse louvor foi resultado de experiência de uma operação de sinais, ao ser cantado, o mesmo anjo que ministrou aquela operação estará ali para operar aquele mesmo sinal no meio do povo.
O louvor da Igreja Fiel tem os seus fundamentos, ele não acontece aleatoriamente, mas ele é a expressão da vontade de Deus, do propósito de Deus, da sua grandiosidade. Esse louvor que se expressa no grande amor de Deus na nossa vida e na nossa gratidão quando fomos libertados e abençoados por Ele.Isso é muito mais do que uma mera composição poética para atender aos interesses dos seus compositores.

VII – As fases do louvor no culto – PRÁTICA
O compromisso, que é a salvação, comporta o testemunho e os atos libertadores no louvor, mas na prática, quando nós estamos no culto, nossa preocupação é colocar isso numa forma sequencial.

Invocação e Comunhão

Inicialmente nós precisamos do fortalecimento e precisamos estar escondidos dos ataques, das opressões do dia, daquilo que tenta entrar nos nossos corações trazendo-nos problemas.
Nós estamos escondidos ali, é no clamor, na comunhão, estamos entrando num ambiente onde o Senhor vai operar.
Às vezes nós gostamos de cantar logo no início do culto um louvor de glorificação, Glória, glória! Aleluia!  Vencendo vem Jesus! Mas não deve ser assim.
No início do culto o recomendável é um louvor de invocação, de comunhão, porque é aquilo que nós estamos precisando naquele instante.
Quando nós vamos iniciar, podemos cantar Vem, visita a tua Igreja, ó bendito Salvador!  Sem tua graça ela murcha, ficará e sem vigor.  Vivifica, vivifica, nossas almas, ó Senhor!  É uma oração, um clamor, o corpo expressa a vida do cabeça e os seus sentimentos.

A Igreja está reunida e nós dizemos: Senhor, nós clamamos pelo sangue de Jesus, e este clamor é que nos une agora, é a invocação e a comunhão, é a bênção do Espírito Santo.

Dedicação e Adoração
Depois é a dedicação, é a entrega da nossa vida, é a adoração, “Te louvamos, ó Deus, pelo dom de Jesus por nós pecadores, Ele morreu na cruz”.
É expressão da nossa gratidão pelos livramentos, pelas libertações, é a batalha que está sendo vencida.  E, finalmente a adoração. Após a libertação pelo poder do sangue de Jesus nós nos entregamos a este momento de adoração ao Senhor, nós viemos adorar ao Senhor e Ele vai aceitar a nossa adoração.
O nosso problema é que nós sempre estamos atrás de bênçãos, mas quando nós estamos adorando ao Senhor, louvando ao Senhor, nós estamos entrando em comunhão com Ele, nós estamos entrando nos benefícios da comunhão.
Por isso é que é necessária a comunhão, e ela não pode se tornar um elemento repetitivo, ela não é um costume, mas é um momento que o Senhor separa e que o Senhor nos dá para que nós possamos receber os seus benefícios.  Nós vamos colocar diante dEle o nosso coração, a nossa vida e, daí um pouco, as libertações virão, as lutas do dia ficarão para trás, esquecidas, as aflições, a preocupação, tudo começa a desaparecer.
Daí a um pouco, a palavra do Senhor, o louvor, que é a dedicação e, ao mesmo tempo, a adoração e, depois a glorificação.

Glorificação

A glorificação é a expressão de vitória alcançada, luta vencida, tristeza passada, renovo da alegria da salvação.
O culto tem um conjunto de elementos no louvor que mostram claramente que a Igreja entrou numa batalha e que os anjos estão presentes para batalhar por nós.
Depois nós passamos para o final do culto onde todos os louvores são de glorificação.
O valor do louvor está na expressão de vida do corpo, que emana do cabeça.
O louvor é a expressão de toda a doutrina revelada. O cabeça revela e o corpo profetiza, e ele sempre profetiza no sentido da vida.
Há um povo que sempre haverá de glorificar ao Senhor e honrar o seu nome com dignidade, porque digno é o Senhor de receber toda a honra e todo o louvor, todos os que estão na eternidade cantam esta dignidade de Deus, a sua justiça, os seus atos poderosos, os seus atos libertadores.
O texto em Apocalipse que nós lemos fala do momento e deste louvor que o cabeça revela e o corpo profetiza.